Histórico

Histórico da criação dos cursos de graduação em Geologia e Geografia

A implementação de um curso de graduação em Geologia na Unicamp fôra objeto de discussões no Instituto de Geociências há muito tempo. Porém, uma conjuntura de forte retração do mercado de trabalho dos geólogos no Brasil e em outros países, e as consequências dela decorrente, provocaram sucessivos adiamentos na implantação do curso. A situação começou a mudar em meados da década de 1990, com a retomada dos investimentos econômicos e reanimação do mercado de trabalho dos geólogos.

Assim, e ainda em decorrência do surgimento de propostas curriculares inovadoras, em maio de 1993, a Congregação do IG aprovou as diretrizes gerais para a elaboração do projeto de curso de graduação em Geologia da Unicamp. Nessa ocasião foi decidido considerar a oportunidade de ampliação das atividades de ensino do Instituto de Geociências no nível de graduação, uma vez que as suas atividades de ensino de pós-graduação e pesquisa já estavam consolidadas.

A proposta de criação do curso de Geografia tem origem em meados da década de 1980, quando um abaixo-assinado, proveniente de bacharéis e licenciados em Geografia, foi encaminhado à Reitoria solicitando a criação desse curso na Unicamp. Posteriormente, a Associação de Geógrafos Brasileiros (AGB), atendendo à solicitação de seus sócios e com o objetivo de sensibilizar a comunidade, propôs que o I Encontro Paulista de Professores de Geografia, em setembro de 1993, fosse realizado no Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Unicamp, ocasião em que fora encaminhada uma moção favorável à criação do novo curso, assinada por mais de 500 geógrafos.

Em setembro de 1995, a Congregação do IFCH aprovou a constituição de uma comissão de docentes do Departamento de Sociologia, como o objetivo de examinar a viabilidade da criação do curso de Geografia, em conjunto com o IG e demais unidades da Unicamp. Considerou-se que o curso de Geografia representaria para o IFCH um enriquecimento do debate e prática interdisciplinar, ao incorporar as abordagens espaciais nas análises da sociedade, rural e urbana, e em especial, nas áreas de meio ambiente, tecnologia e desenvolvimento. Durante o ano de 1996, vários docentes da FEAGRI manifestaram-se favoravelmente à colaboração em determinadas disciplinas de suas áreas de atuação, mesmo como responsáveis, na eventual criação do curso de Geografia, e essa proposição foi aprovada pela Congregação da Faculdade. Ainda em 1996, uma comissão de docentes do IG foi encarregada pelo Conselho Interdepartamental e Diretoria da Unidade de trabalhar conjuntamente com os docentes do IFCH na elaboração de uma proposta conjunta de graduação em Ciências da Terra.

Os levantamentos realizados, os contatos efetivados dentro e fora da Unicamp e, no caso da área de Geografia, o contínuo apoio da Associação de Geógrafos Brasileiros, dos cursos de Geografia da USP e da UNESP, e da comunidade de geógrafos, sugerem que a implantação do curso de Ciências da Terra na Unicamp atenderia a uma demanda social e profissional de enorme importância para as gerações presentes e futuras do Brasil.

A proposta aprovada pelo Conselho Universitário da Unicamp previu a cooperação entre diversas unidades de ensino e pesquisa, conciliando áreas do saber técnico-científico que se encontram fisicamente separadas em Institutos e Faculdades, nas diversas áreas: Humanas, Exatas, Biológicas e Tecnológicas. Em uma época de rápidas e profundas transformações como a que se vive atualmente, a Unicamp tem todas as condições para formar geólogos e geógrafos, licenciados e bacharéis, que integrem a pesquisa científica com a atuação profissional, tonando-se aptos para o exercício profissional de qualidade e para a abertura de novas áreas no mercado de trabalho.