Disciplinas

Organização didático-pedagógica

Núcleo Comum

O núcleo comum de disciplinas cursadas no transcorrer dos semestres pelos alunos não se destina a formar profissionais, cumpre o importante papel de estimular a interdisciplinaridade entre os alunos e formar capacitação no cerne de conhecimentos básicos de Ciências da Terra e Ciências Humanas

Bacharelado em Geografia

Conforme o Parecer CNE/CES nº. 184/2006 que rege a "carga horária mínima dos cursos de graduação, bacharelados, na modalidade presencial", foi definido como carga horária mínima dos cursos de graduação de Bacharelado em Geografia 2.400 (duas mil e quatrocentas) horas. Todavia, ressaltamos que a carga horária mínima não atende à necessidade de horas para a inclusão de disciplinas obrigatórias e tradicionais dos cursos e da profissão de geógrafo. Desde 2006, a AGB e o Sistema CONFEA/CREA (sobretudo a partir da nova regulamentação de 2007) defendem um total de 3.600 horas como carga horária mínima dos cursos de graduação em geografia. Nota-se que não há curso de bacharelado em Geografia em universidades públicas com currículo de 2400 horas. Em geral, todos ficam em torno ou acima de 3000 horas.

As Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de Geografia (CNE/CES 492, de 03 de abril de 2001), por sua vez, regulamentaram o perfil do formando, as competências e habilidades, a organização do curso e os conteúdos curriculares, os estágios e atividades complementares.

Os conteúdos curriculares regem o formato dos conteúdos básicos e complementares que devem se organizar entre: a) núcleo especifico (conteúdos específicos ao conhecimento geográfico; b) núcleo complementar (conteúdos necessários a aquisição de conhecimento geográfico e que podem ser oriundos de outras áreas do conhecimento); c) núcleo de opções livres (escolha do aluno).

A estrutura curricular do curso de Geografia integral (Bacharelado) da Unicamp totaliza 193 créditos em 2895 horas e deve ser integralizado em 4 anos; prevê o máximo de 32 créditos por semestre.

Os estudantes do curso do Bacharelado em Geografia no primeiro e segundo anos cursam disciplinas especificas ao conhecimento geográfico como Ciência do Sistema Mundo I e II e Cartografia Sistemática e disciplinas complementares (estas últimas em maior numero nesta fase inicial do curso), bem como disciplinas do núcleo comum, como Ciência, Tecnologia e Sociedade. Também são oferecidas as disciplinas do núcleo de teoria e método da geografia, entre elas História do Pensamento Geográfico, Metodologia da Geografia e Geografia Econômica, bem como Climatologia I, Geomorfologia e disciplinas da área de geotecnologias. Os estudantes cursam ainda disciplinas complementares (como Sociologia e Historia Economia Política e Social do Brasil) e cursam disciplinas eletivas. Entre o sexto e o nono semestre os estudantes têm contato com a maior parte dos conteúdos disciplinares específicos da geografia. A partir do oitavo semestre cursam disciplinas especificas do bacharelado, tais como SIG, Gestão de Bacias Hidrográficas, Meio Ambiente Urbano, Planejamento Territorial Monografia I e II.

Licenciatura em Geografia

As Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de Geografia (CNE/CES 492, de 03 de abril de 2001) regulamentam o perfil do formando, as competências e habilidades, a organização do curso e os conteúdos curriculares, os estágios e atividades complementares.

Os conteúdos curriculares regem o formato dos conteúdos básicos e complementares que devem se organizar entre: a) núcleo específico (conteúdos específicos ao conhecimento geográfico; b) núcleo complementar (conteúdos necessários a aquisição de conhecimento geográfico e que podem ser oriundos de outras áreas do conhecimento); c) núcleo de opções livres (escolha do aluno); d) núcleo de conteúdos específicos para formação de professores.

A Resolução CNE/CP 2/2002 regulamenta a carga horária dos cursos de Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, em curso de licenciatura, de graduação plena, efetivada mediante a integralização de, no mínimo, 2800 (duas mil e oitocentas) horas, nas quais a articulação teoria-prática garanta, nos termos dos seus projetos pedagógicos, as seguintes dimensões dos componentes comuns:

  1. um conjunto de disciplinas de estágios (totalizando 400 horas); 
  2. um conjunto de atividades práticas como componente curricular que percorrem a grade das disciplinas (totalizando 400 horas); 
  3. um conjunto de atividades complementares científico-acadêmico-culturais (totalizando 200hs); 
  4. um conjunto mínimo de 1800 horas de aulas para os conteúdos curriculares de natureza científico cultural.

Desde 2005 o curso de licenciatura em Geografia da Unicamp vem se adequando a estas novas Diretrizes Nacionais. A carga horária do curso de licenciatura difere-se da carga horária do bacharelado diurno e noturno, com 270 horas-aula a mais; e esta razoavelmente acima do mínimo exigido pelo MEC por dois motivos: a) para alcançar bons patamares de qualidade de ensino e pesquisa; b) pelo fato do curso se inserir no projeto pedagógico em Ciências da Terra do IG. O curso totaliza 211 créditos, em 3165 horas e deve ser integralizado em 5 anos. A estrutura curricular do curso de Geografia noturno (Licenciatura) prevê o máximo de 28 créditos por semestre.

Os estudantes do curso de licenciatura em geografia noturno também realizam o Núcleo Comum no transcorrer do percurso curricular. No primeiro e segundo anos cursam disciplinas especificas ao conhecimento geográfico como Ciência do Sistema Mundo I e II e Cartografia Sistemática e disciplinas complementares, bem como disciplinas do núcleo comum, como Ciência, Tecnologia e Sociedade. Também são oferecidas as disciplinas do núcleo de teoria e método da geografia, entre elas História do Pensamento Geográfico, Metodologia da Geografia e Geografia Econômica, bem como Climatologia I, Geomorfologia e disciplinas da área de geotecnologias. No terceiro semestre são introduzidos conteúdos pedagógicos para formação de professores através da disciplina Escola e Cultura oferecida pela Faculdade de Educação (FE). Os estudantes cursam ainda disciplinas complementares (como Sociologia e Historia Economia Política e Social do Brasil), bem como cursam disciplinas eletivas e prosseguem adquirindo os conteúdos pedagógicos da formação de professores em disciplinas da Faculdade de Educação e em atividades práticas aplicadas nas demais disciplinas da grade. Entre o sexto e o nono semestre os estudantes têm contato com a maior parte dos conteúdos disciplinares específicos da geografia. A partir do oitavo semestre realizam os Estágios Supervisionados (ao todo são 400 horas), compartilhados entre o IG e a FE. Ao longo do percurso curricular os estudantes realizam atividades complementares que lhes permitem computar às 200 horas exigidas em lei em atividades científico-acadêmico-culturais.

Bacharelado em Geologia

Para examinar a consistência do curso de graduação em Geologia, é preciso lembrar que a Comissão de Graduação em Ciências da Terra tem acompanhado com certa expectativa os desdobramentos das discussões, no âmbito do MEC, acerca das Diretrizes Curriculares para os Cursos de Graduação em Geologia e Engenharia Geológica. Conforme é de conhecimento geral, a primeira proposição feita por uma comissão de especialistas (MEC, 1999) acerca dessas diretrizes jamais obteve aprovação final pelas instâncias do Poder Executivo. Em vista desse fato, os coordenadores de cursos de graduação em Geologia e Engenharia Geológica decidiram se reunir a propor um conjunto de diretrizes e desse modo estabelecer uma linha mestra capaz de: (a) fixar limites para alterações dos cursos existentes e (b) orientar a implantação de cursos novos. O documento, aprovado em primeira versão (Nummer et al. 2005), foi posteriormente revisto, durante reunião do Fórum Nacional de Cursos de Geologia, ocorrido em maio de 2007 nas cidades de São Paulo, Campinas e Rio Claro (SP) (Fantinel et al., 2008a, Fantinel et al., 2008b).

FANTINEL, L.; JANASI, V.A.; ASSIS, J.F.P.; CARNEIRO, C.D.R. 2008a. Relato Final do VII Encontro do Fórum Nacional de Cursos de Geologia. São Paulo - Campinas - Rio Claro (SP), 28 a 31 de maio de 2007. Terræ Didatica, 4(1):81-84. URL: http://www.ige.unicamp.br/terraedidatica/.

FANTINEL, L.; JANASI, V.A.; ASSIS, J.F.P.; ALECRIM, J.R.; ALMEIDA, H.L.de; COMPIANI, M.; CONCEIÇÃO, R.; DUARTE, B.P.; FAUTH, G.; FONSECA, V.P.da; FORTES, P.; LEITE JÚNIOR, W.B.; MANCINI, F.; MENEZES, M.G.de; SILVA, C.H.da; SILVA FILHO, W.; VELLOSO, E.; CARNEIRO, C.D.R. 2008b. Diretrizes Curriculares para os Cursos de Graduação em Geologia e Engenharia Geológica. Terræ Didatica, 4(1):85-89. URL: http://www.ige.unicamp.br/terraedidatica/

MEC. COMISSÃO DE ESPECIALISTAS DE ENSINO DE GEOLOGIA E OCEANOGRAFIA, Portaria no 146 SESu/MEC de 10 de março de 1998, Sub-Comissão de Geologia: Newton Souza Gomes, Paulo Milton Barbosa Landim e Reinhardt Adolfo Fuck. 1999. Diretrizes Curriculares para os Cursos de Graduação em Geologia e Engenharia Geológica. Brasília: MEC. 9p.

NUMMER, A.R.; GODOY, A.M.; LAZZAROTTO, A.; CARNEIRO, C.D.R.; SCHULTZ, C.L.; TUBBS FILHO, D.; GUIMARÃES, E.M.; ALTHOFF, F. ASSIS, J.F.P.; PINHO, F.E.C. SOBREIRA, F.; CARVALHO, I.S.; SABADIA, J.A.B.FERNANDES FILHO, L.A.; TOLEDO, M.C.M.de; FERNANDES, M.L.S.; COSTA, R.D.da; MACHADO, R.; MENEGAT, R.; NADALIN, R.J.; SANTOS, R.A.A.dos; VASCONCELOS, S.M.S.; MARQUES, T.M. SOUZA, Z.S.de. 2005. Diretrizes Curriculares para os Cursos de Graduação em Geologia e Engenharia Geológica. Terræ Didatica, 1(1):64-69. http://www.ige.unicamp.br/terraedidatica/

Com base nesse quadro, pode-se dizer que existe plena consistência entre as exigências de carga horária e de conteúdo do MEC com os objetivos de formação do curso de Geologia. No documento do MEC existe uma definição considerada insuficiente pelo Fórum, a saber: "A duração mínima proposta para o curso é de quatro anos e a máxima de seis anos, com tempo médio recomendado de cinco anos, ou dez semestres. A carga horária mínima é de 3.000 horas aula. Esta carga horária permitirá ao aluno participar de atividades extra-curriculares, como projetos de iniciação científica ou estágios em empresas". As diretrizes aprovadas em maio de 2007 pelo Fórum Nacional de Cursos de Geologia estabelecem as seguintes orientações: "DURAÇÃO DO CURSO - A duração proposta para o curso, adotada no currículo a ser oferecido pela IES, é de cinco anos no mínimo e seis anos no máximo, com tempo médio recomendado de cinco anos, ou dez semestres. A carga horária mínima é de 3.600 horas. ATIVIDADES DE CAMPO - Deve ser planejada e incluída na programação dos cursos uma carga horária mínima de atividades de campo, que pode estar contida, ou não, na carga horária de diferentes disciplinas; o nível mínimo requerido é de 20% do total do curso (por exemplo, 720 horas para um curso de 3.600 horas). ESTÁGIO SUPERVISIONADO - É desejável a inclusão, no leque de disciplinas de cursos de graduação em Geologia, de uma disciplina (ou atividade) denominada Estágio Supervisionado, que proporcionará ao aluno conhecimentos e experiências profissionais, ao permitir a interação da escola com a empresa. A disciplina (ou atividade) pode ser obrigatória ou não. A carga horária mínima sugerida, na empresa, é de 120 horas a 160 horas, podendo ser concentrada em intervalo de 30 dias, no recesso de aulas escolares, ou eventualmente dispersa no semestre."

O curso de Geologia da Unicamp ultrapassa ligeiramente a duração de 3.600 horas proposta para o curso, para atender às necessidades de formação de geólogos capacitados a atuar nos variados campos de ação profissional que atualmente se oferecem. As recentes alterações introduzidas no curso de Geologia permitiram cumprir a determinação de 20% do total do curso para realização de atividades de campo. Essa carga acha-se contida na carga horária de disciplinas específicas de campo e outra, distribuída organizada e sequencialmente durante todo o curso. Embora não exista a denominação Estágio Supervisionado como disciplina específica do curso, essa modalidade de atividade do aluno é prevista na organização do curso e tem sido estimulada.

Estrutura curricular e a carga horária contemplam atividades complementares/interdisciplinares:

A estrutura curricular do curso de graduação em Geologia está repleta de atividades complementares e interdisciplinares que enriquecem a atividade de aprendizado dos alunos. As seguintes atividades complementares e interdisciplinares são desenvolvidas como: Iniciação Científica, bolsas do Programa de Apoio Didático (PAD), apresentações a congressos, cursos e seminários, estágios em universidades estrangeiras.

A Iniciação Científica, como explicado em detalhe na resposta 4.3, é uma prática comum no curso 53. Uma alta percentual de alunos que aproximativamente atinge o 20% dos mesmos pratica Iniciação Científica. Os estudantes, além que desenvolver uma atividade que enriquece a própria cultura, frequentemente se encontram a aplicar na própria pesquisa princípios e métodos de diferentes disciplinas, caracterizando assim a interdisciplinariedade desta atividade.

O Programa de Apoio Didático (PAD) consta de bolsas de duração de 5 meses destinadas a estudantes de graduação. O programa consiste em uma espécie de iniciação a docência, que permite aos alunos mais antigos de estar em contato com alunos mais novos e experimentar uma primeira aproximação didática. Modalidade e uso das bolsas PAD estão detalhadamente descritos na reposta do ponto 4.2.

Todos os alunos em geral, mas em particular os alunos que atuam na Iniciação Científica, são incentivados a apresentar trabalhos em congressos científicos. Os congressos frequentados pelos estudantes são de caráter regional ou nacional, porém isto permite aos mesmos de entrar em contato com o mundo da pesquisa e de se confrontar com as realidades das outras instituições de pesquisa e didática.

Cursos e seminários são extremamente frequentes no "espaço cultural" do Instituto de Geociências. Estas atividades são concentradas durante os períodos dedicados às recorrências principais, quando os docentes ou os centros acadêmicos atuam chamando especialistas de diferentes setores do campo geológico para expor palestras ou breves cursos sobre temas geológicos de atualidade, seja no campo profissional como científico.

Várias atividades de extensão envolvem os estudantes do curso 53. Sem dúvida a mais cativante é a atividade que se desenvolve em ocasião da manifestação Unicamp de Portas Abertas (UPA). Esta manifestação ocorre durante uma sexta-feira e um sábado da primeira quinzena de setembro e consiste na abertura física dos institutos e laboratórios para os estudantes do ensino secundário ou para simples visitantes. A participação dos alunos é numerosa, chegando a 40-70 unidade por ano. Os alunos se empenham em atividades de divulgação em ciências da terra para o público visitante. A paixão, o gosto e o transporte com os quais os alunos se prodigalizam nestas atividades têm sido realmente surpreendentes.

Estágios em universidade estrangeira são promovidos pelos diferentes convênios e acordos que se desenvolvem entre a Unicamp e várias instituições estrangeiras. De dois a seis alunos do curso 53 participam cada ano a estas atividades, que sem dúvida são extremamente proveitosas para os mesmos.